Texto enviado pelo Orientador da Humanidade Romero Salazar, coordenador dos trabalhos do Instituto Círculo Mágico, e canalizado por Maria Guida.

 

O surgimento do Grupo de Apoio Espiritual Maria Menina e, posteriormente, a criação do Instituto Círculo Mágico são resultados diretos do desenvolvimento da atividade de canalização, que nós, os Orientadores da Humanidade, estamos desenvolvendo com a cooperação do canal Maria Guida há quase 30 anos.

Canalização é apenas uma das muitas modalidades de Comunicação Interdimensional que estão disponíveis no momento aos humanos deste sistema de mundos.

Comunicação Interdimensional é a possibilidade que todos os humanos têm de entrar em contato com as múltiplas dimensões ou faixas vibracionais existentes no Universo Manifestado.

Acreditem ou não, vocês todos são seres multidimensionais, vivendo uma experiência limitada à tridimensionalidade, e por este motivo mesmo, com possibilidades de conexão e interação com todas as outras dimensões.

Digo “possibilidades” porque, para operar conectado com todas as demais dimensões existentes no Universo Manifestado, os humanos precisam:

1. Ter consciência de que podem.
2. Livrar-se de crenças limitadoras.
3. Cultivar um patamar mínimo de equilíbrio.

Durante nove anos, nosso trabalho com o canal Maria Guida limitou-se a obter êxito nesses três únicos aspectos.

A partir de 1997, conseguimos nos comunicar com outros seres humanos utilizando o canal Maria Guida em atendimentos individuais. Digo “conseguimos” porque não fui o único a utilizar o canal. Grande número de entidades que tinham urgente necessidade em orientar pessoas em situação de dificuldade utilizou e continua ainda utilizando o canal como meio seguro de comunicação com aqueles a quem orientam.

Outros nove anos se passaram até que eu, Romero Salazar — Instrutor da Humanidade e Guardião do Portal de Nievengaard — pudesse não apenas obter a cooperação do canal Maria Guida para realizar atendimentos individuais, mas também realizar palestras abordando temas que considero de grande importância para os humanos. É o que vem acontecendo, quase que ininterruptamente, até os dias de hoje.

As palestras ocorrem no primeiro domingo de cada mês, sempre às 16 horas, no número 107 da Rua Ambrosina de Macedo, no bairro Vila Mariana, em São Paulo.

Poucos compreendem que os temas abordados nas palestras não podem ser anunciados com antecedência. O motivo é que os temas são determinados pelas necessidades mais imediatas das pessoas presentes.

Como não tenho o poder de determinar quem virá ou não às palestras, porque cada um de vocês é soberano em suas limitadas escolhas na matéria, preciso esperar que a plateia se forme, para só então desenvolver o tema.

Mesmo quando o público de uma das palestras escolhe um tema para o próximo encontro, tenho que, muitas vezes, modificar essa determinação, em nome da necessidade dos presentes.

Há alguns anos, as pessoas que assistem às palestras começaram a registrá-las em áudio. Todas as gravações que o Grupo de Apoio Espiritual Maria Menina conseguiu resgatar estão disponíveis aqui, para aqueles que quiserem ouvi-las.

Perguntas e respostas


“Sabe o que é propor amizade a uma pessoa? É você caminhar na direção dela até metade do caminho com a amizade nas mãos. Ela pode dizer: “Não quero”. Você vai ter que aceitar isso e continuar no meio do caminho, com a amizade nas mãos, até o final da sua vida. Isso é amor. Você dormindo na mesma cama com a pessoa, ou estando uma aqui e a outra na Nicarágua… Continua sendo amor. Se você está internamente bem, você está no meio do caminho com a amizade nas mãos”. 

Perguntas e respostas


“É a dualidade que cria o contrário de tudo. É só inventar uma coisa, que vem a dualidade e cria o seu oposto – e que é ilusório. Todo contrário negativo de qualquer coisa é uma ilusão criada pela dualidade. E vou falar aquele negócio que deixa vocês de cabelo em pé: o mal não existe. O mal é uma ilusão criada pela dualidade. Todas as manifestações de mal são apenas um extremo desequilíbrio. Como o mal desaparece? Quando vocês trazem esses desequilíbrios para o centro novamente e dão a ele uma função construtiva. Quando vocês mergulham na água, as coisas sofrem um fenômeno chamado “refração”. Ficam diferentes. Qualquer coisa olhada de dentro da água para fora não é como ela é. A imagem está um pouco distorcida, a distância é diferente. A água provoca uma distorção na maneira como você percebe, pelo visual, os objetos. Então, pensem assim: o mal, o desequilíbrio, as tendências negativo-destrutivas são uma distorção da sua natureza divina, pois vocês estão apenas mergulhados na água da matéria”.